Lista de Boas Práticas

<< Voltar à lista

Enquadramento

A "Biblioteca Digital do Ministério das Finanças", no âmbito de uma Administração Pública orientada para os cidadãos com recurso às tecnologias de informação pretende divulgar e preservar um acervo documental importante e único constituído, entre outros, por Orçamentos e Contas do Estado desde o século XIX até à actualidade. 

Utilizando tecnologia de natureza digital, a criação da Biblioteca Digital encerra em si, os novos modelos de comunicação e também de investigação capazes de reunir um conjunto de recursos de informação até agora dispersos, o que representa o elemento de diferenciação da Biblioteca Digital do Ministério das Finanças.

Disponibilizar sob a forma digital um acervo desta natureza constituí um importante contributo para o conhecimento e estudo da evolução das Finanças Públicas Portuguesas, neste caso desde o início do século XIX até à atualidade, através da facilidade da sua consulta e utilização proporcionados pelo recurso à tecnologia digital eliminando factores que impedem os investigadores/utilizadores de aceder a fontes históricas.

Identificadas as vantagens inerentes a uma Biblioteca Digital e reconhecido o valor da documentação a digitalizar, as principais etapas e acções do projecto consistiram em:

·        Estudo jurídico das conexões entre o Direito de Autor e as Bibliotecas Digitais para conhecimento dos procedimentos legais a ter em conta aquando da disponibilização de conteúdos digitais;

·        Definição dos requisitos técnicos do software para gestão de conteúdos na biblioteca digital e consulta de mercado;

·        Desenho e arquitectura da página web da Biblioteca Digital;

·        Definição dos requisitos técnicos da digitalização de acordo com especificidades da documentação e respectiva consulta de mercado.

Entre as principais dificuldades encontradas durante a fase de arranque da "Biblioteca Digital do Ministério das Finanças", destacam-se:

·        A impossibilidade de estabelecer parcerias com técnicos especializados na área orçamental com o objectivo de analisar cientificamente a documentação, garantindo maior rigor à metodologia de apresentação dos conteúdos digitalizados;

·        A fraca qualidade das soluções informáticas de gestão de conteúdos digitais disponíveis no mercado e a limitação de verbas disponíveis para este fim;

·        A necessidade dos técnicos de documentação e biblioteca envolvidos no projecto dominarem a forte componente tecnológica inerente ao desenvolvimento de uma biblioteca digital.

Estas dificuldades foram ultrapassadas com as seguintes ações:

·        Análise das espécies documentais pelos elementos da equipa responsável pelo desenvolvimento da Biblioteca Digital;

·        Recurso a software open source obtendo, a baixo custo, uma solução adaptada à instituição;

·        Desenvolvimento do site da Biblioteca Digital com recurso aos meios tecnológicos existentes na SGMF;

·        Digitalização de parte da documentação na Biblioteca Central.

Pretende-se com a Biblioteca Digital do Ministério das Finanças:

·        Promover o diálogo, via electrónica, entre o cidadão, a Administração Pública e a comunidade científica;

·        Disponibilizar electronicamente a documentação da Biblioteca Central do Ministério das Finanças

·        Eliminar o conceito de espaço e tempo, uma vez que permite aos utilizadores o acesso e consulta da informação a qualquer momento e em qualquer lugar.

·        Aumentar o grau de eficiência de funcionamento, uma vez que se atinge um aumento significativo do número de utilizadores ao acesso à informação, reduzindo o custo médio por utilizador;

·        Garantir a preservação de espécies documentais com recurso à transferência suporte documental;

·        Proceder a uma maior integração da informação do MF, através de um interface único de pesquisa.

 

Público alvo

Gabinetes governamentais, público em geral, comunidade científica e outros serviços da Administração Pública

Impacto

Resultados

  • Criação de uma plataforma centralizada de acesso a conteúdos bibliográficos digitais e nado-digitais, podendo ainda o utilizador, nas suas pesquisas, cruzar os dados disponibilizados pela Biblioteca Digital com os dados disponibilizados pelo Arquivo Digital do Ministério das Finanças;
  • Disponibilização da "Biblioteca Digital do Ministério das Finanças" em diferentes plataformas, de entre as quais, Intranet e Internet;
  • Preservação e conservação do património bibliográfico do MFAP

Próximas Ações e Recomendações

Próximas Acções

Atualização do software e automatização de tarefas com vista a rendibilizar o esforço despendido e garantir a eficácia.

Recomendações

Recomendações / factores de sucesso deste projecto apontam-se:

·        Parcerias com entidades congéneres para partilha de experiências;

·        Estudo de mercado considerando vantagens e desvantagens das soluções disponíveis de acordo com critérios previamente definidos. 

Tecnologia

O projecto é sustentado por diversos meios tecnológicos, quer na transferência de suporte de papel para suporte digital, quer no controlo da qualidade dos documentos digitais, quer na descrição normalizada da documentação, através do sistema de gestão integrada de biblioteca WinLIB, quer ainda na disponibilização e recuperação da informação na Intranet e na Internet (base de dados, banco de imagens, motor de pesquisa, devidamente suportados por três servidores, os quais, por sua vez, são salvaguardados por um sistema de backup), baseadas, estas últimas, em ferramentas open source, criadas no âmbito da Biblioteca Nacional Digital, mas adaptadas às necessidades específicas deste serviço.

Identificação da entidade

Secretaria-Geral do Ministério das Finanças (SGMF) http://www.sgmf.pt/bibliotecadigital/

Departamento responsável pelo projeto: Direção de Serviços de Arquivos e Documentação

Responsável/interlocutor pelo projeto

  • Nome: Maria João Pedro Nunes
  • E-mail: mjoao.nunes@sgmf.pt

Média (0 Votos)
The average rating is 0.0 stars out of 5.

Aviso

A informação contida nesta página é relativa à disponibilização de Boas Práticas na Administração pública, acerca de software alternativo que pode substiruir software proprietário. Contudo, esta lista não é exaustiva, podendo existir outras Boas Práticas que não se encontrem aqui partilhadas. Se tiver informação adicional e relevante, que não se encontre disponível nesta página, por favor contacte-nos.

Exposição do índice de correia fotorreceptora

Este separador de Boas Práticas, pretende ser dentro deste site, uma àrea relevante de partilha e divulgação de Boas Práticas em Software público. 
A informação que consta neste espaço está em atualização.