Lista de Boas Práticas

<< Voltar à lista

Enquadramento

A Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN) desenvolveu o projeto COLIBRI com o intuito de disponibilizar às instituições de ensino superior uma ferramenta tecnológica que tornasse mais simples e fácil a realização de sessões de trabalho colaborativo, sem ter que recorrer às plataformas de videoconferência tradicionais que exigiam grandes investimentos em espaço físico, equipamento e posterior formação.

Ponto de Situação : O projeto de desenvolvimento encontra-se concluído, tendo a plataforma entrado em produção em fevereiro de 2010. Depois de 2 anos de atividade e alguns desenvolvimentos menores (atualizações de versões, módulo Moodle), está em fase de planeamento a reestruturação da infraestrutura para passar a ser resiliente em caso de falha, através da replicação dos servidores responsáveis pelo serviço.
Nos primeiros 3 meses do ano de 2012 foi utilizado para criar 1243 sessões de 299 utilizadores distintos originários de 34 instituições, totalizando mais de 151 mil minutos de conversação em 7973 participações.

Descrição breve
A visão que orientou todo o desenvolvimento do COLIBRI foi: «qualquer indivíduo consiga realizar uma sessão de colaboração, interativa e com qualidade em suporte áudio, vídeo e dados, em qualquer dispositivo (terminal HD VC, terminal VC, PC, PDA, telemóvel com vídeo, telefone), em qualquer localização (instituição, casa, em viagem), em qualquer tempo (ao vivo, diferido), com um ou mais indivíduos».
A plataforma foi desenvolvida sobre um produto comercial, consistindo o desenvolvimento na adaptação do interface do utilizador ao perfil dos utilizadores e a ativação de um módulo de autenticação e autorização que limita o uso da plataforma à comunidade alvo de utilizadores.
 

Descrição pormenorizada
O COLIBRI apresenta-se como uma ferramenta de comunicação para a realização de aulas, reuniões ou sessões de trabalho. Baseado num produto comercial, compatível com os protocolos e codecs standard do mercado, permite a integração com uma grande diversidade de terminais ligados a redes IP usando tecnologias de acesso distintas.

Permite a realização de sessões multi-ponto com dados, gravação e streamming. As sessões são agendadas autonomamente através do portal com autenticação federada (RCTSaai).
O processo de desenho e análise decorreu no âmbito da extensão do Projeto Estúdios. A pesquisa de soluções técnicas decorreu durante o ano de 2008, tendo a solução sido adquirida e instalada no final desse ano.

Durante o ano de 2009 foram realizados vários testes, demonstrações e utilizações em diversos ambientes que permitiram verificar que o interface Web original disponibilizada pela ferramenta não era adequada. No segundo semestre de 2009 o portal COLIBRI foi implementado de forma a permitir o agendamento de sessões de forma fácil, num ambiente seguro. Em fevereiro de 2010, o COLIBRI foi anunciado à comunidade no evento Jornadas RCTS. Em abril de 2010, o COLIBRI acomodava já dezenas de sessões mensais, tendo verificado um crescimento consistente desde então, atingindo em 2011 mais de 3600 sessões. Em 2012 o número de sessões mensais supera as 600.

Durante o ano de 2010 foi desenvolvido um módulo Moodle por parte da Universidade Aberta que obrigou à evolução do portal COLIBRI de forma a poder permitir o acesso automático às sessões de videoconferência através deste LMS

 

Público alvo

A população-alvo tem uma dimensão na ordem dos 400.000 utilizadores e inclui, na sua grande maioria, professores, investigadores, alunos e funcionários de estabelecimentos de Ensino Superior.

Impacto

Resultados
Descrição dos resultados da Iniciativa, caso a mesma já esteja concluída. Se tal não for o caso, referir os resultados esperados com a implementação da Iniciativa.

Mês          Número de Sessoes
2010-04     65
2010-05     178
2010-06     88
2010-07     69
2010-08     13
2010-09     243
2010-10     276
2010-11     285
2010-12     195
2011-01     307
2011-02     399
2011-03     789
2011-04     550
2011-05     715
2011-06     451
2011-07     405
2011-08     76
2011-09     520
2011-10     631
2011-11     707
2011-12     489
2012-01     600
2012-02     567
2012-03     704

Próximas Ações e Recomendações

Recomendações
Centrar nos Utilizadores: ao criar um serviço TIC é importante desenhar o serviço centrado nas espectativas e necessidades dos utilizadores. A adaptação da plataforma à realidade portuguesa e ao ambiente académico foi fundamental para o sucesso do serviço.
Divulgar: fazer desde o início um plano de divulgação que atinja o público-alvo. Utilizar os novos meios como as redes sociais, integrados com métodos mais tradicionais como folhas de serviço e sessões de divulgação junto dos utilizadores.

Monitorizar e fazer estatísticas de uso: manter de forma regular uma análise sobre o desempenho da plataforma e as suas métricas de uso por forma a compreender a sua evolução e antecipar necessidades dos utilizadores. Sempre que possível divulgar essa informação, mesmo que resumida.

Planear para suportar: identificar desde o primeiro momento os mecanismos financeiros para garantir o suporte técnico por parte das equipas envolvidas, sejam elas internas ou externas. Todos os serviços TIC necessitam de estar preparados para dar apoio ao utilizado
Recursos Humanos: juntar e manter no seio da organização os elementos chave para o desenvolvimento e manutenção do projeto.

Próximas Acções
Evolução da plataforma para a versão 2.0 com a integração de mecanismos de resiliência.
Ativação do protocolo SIP, o que permitirá a integração com os projetos, como por exemplo: VoIP@RCTS.
Divulgação mais ativa junto das instituições de ensino superior desta plataforma.

Identificação da entidade

FCCN – Fundação para a Computação Científica Nacional http://colibri.fccn.pt

Entidades parceiras
Este projeto foi financiado pelo Programa Operacional Sociedade do Conhecimento, POS_C/EU


Average (0 Votes)
The average rating is 0.0 stars out of 5.

Aviso

A informação contida nesta página é relativa à disponibilização de Boas Práticas na Administração pública, acerca de software alternativo que pode substiruir software proprietário. Contudo, esta lista não é exaustiva, podendo existir outras Boas Práticas que não se encontrem aqui partilhadas. Se tiver informação adicional e relevante, que não se encontre disponível nesta página, por favor contacte-nos.

Exposição do índice de correia fotorreceptora

Este separador de Boas Práticas, pretende ser dentro deste site, uma àrea relevante de partilha e divulgação de Boas Práticas em Software público. 
A informação que consta neste espaço está em atualização.